por Alice Maulaz

Esta é a quarta vez que estou lendo “Alice no país das Maravilhas” e ainda considero a seguinte passagem uma das minhas preferidas:

“A única forma de chegar ao impossível é acreditar que é possível“.

 Os sonhos podem ser como portais nas nossas vidas, um conector entre o que queremos e o que temos como realidade. Esta passagem, em especial, é importante porque explica que o impossível só existe quando o enxergamos como improvável. É preciso acreditar sim, que podemos ter algo, afinal de contas…Quem mais acreditaria em você melhor do que você mesmo? Entender como nossa mente funciona é,no mínimo, algo libertador.

 Os sonhos são também libertadores por natureza, já que nos motiva a acreditar em algo, tornando assim, essa motivação uma mensagem positiva para o universo. Além do mais, o futuro é construído com ações feitas no presente e um processo sendo desenhado pouco a pouco todos os dias, como afirma Victor Hugo “Não há nada como o sonho para criar o futuro. Utopia hoje, carne e osso amanhã”.

  Ainda acredito que a vida juntamente com a realização dos sonhos é um grande processo. Por exemplo, se você sonha em falar um novo idioma, não serão em 24 horas que você ficará “fluente” . Exige estudo, esforço e preparo para que você alcance esse objetivo e é exatamente esta caminhada que te prepara para receber e alcançar o que tanto procura. Logo, o processo de sonhar é potencialmente construtivo e parte da realidade de fazer acontecer o que se procura.

   Não é fácil sonhar quando se é adulto. A dura realidade do nosso país e das regras impostas pela nossa sociedade dificultam a transição de impossível para possível. Quando acreditamos em algo que a princípio é grande demais, somos rotulados como lunáticos ou ambiciosos, até mesmo entre as pessoas do nosso convívio. Entretanto, se sonhamos com coisas sempre perto do nosso alcance, somos pequenos e aceitamos nossa zona de conforto.

    A conclusão que tiramos é que se os sonhos importam para você, o resto realmente não deve ser levado em consideração apenas como aspectos negativos para deixarmos de fazer algo. Você não pode levar o peso de não tomar uma decisão por conta dos outros porque só você sabe a importância daquele sonho na sua vida, é algo único e principalmente, seu. Precisamos aprender que nós somos os donos das nossas próprias escolhas do mesmo jeito que sofreremos também consequências por essas mesmas escolhas. Faz parte desta mesma caminhada que tanto falo nos meus textos.

   Os sonhos movem as pessoas e desafiam nossos limites. O que te move? Gratidão por tudo que temos e motivação para voar mais alto são os mais poderosos sentimentos existentes.   

Sobre a autora:


Alice Maulaz é escritora, professora, tradutora e wanderlust. Apaixonada por idiomas e viagens, escreve desde os 10 anos de idade sobre o seu próprio país das maravilhas.