boy-1822614

por Marlos Quintanilha

Você já parou para pensar qual é o poder que está dentro de cada um de nós? Dos variados tipos que podem e/ou devem existir dentro de nós está um que quero dissertar um pouco neste breve texto. Ele é disponível a todo aquele que se dispõe ao hábito de ler. O poder de transformação através da leitura é uma bomba sobre aqueles que tecem a escuridão da ignorância sobre nossos
olhos.

Vamos conhecer um pouquinho sobre a origem da leitura de forma bem sucinta antes de falar sobre o seu grande poder. Desde os primórdios da sociedade já tínhamos os primeiros lampejos de
necessidade de comunicação. Nossos ancestrais já conseguiam deixar mensagens através de imagens registradas nas paredes das cavernas ou grandes rochas com pedras, galhos ou qualquer outro instrumento pontiagudo que conseguisse usar como “caneta”. Logo, se havia algo registrado, um receptor leria e interpretaria a mensagem. E assim temos os registros básicos da necessidade e da origem dos primeiros leitores.

Através do tempo o hábito da leitura foi tomando maior forma e transformou-se num grande símbolo de poder e domínio. Pode-se destacar na história a Reforma vivida pela Igreja Católica que no século XVI viveu um rebuliço em suas estruturas causado pelas 95 teses espalhadas pelas portas
das igrejas por Martinho Lutero e seus companheiros. O poder estava nas mãos da igreja que detinha as bíblias. As missas rezadas em latim eram praticamente incompreensíveis e apenas o clero tinha acesso ao livro sagrado. Com isso, o povo estava alienado ao que era pregado e não era compreendido. Lutero trouxe luz ao povo, marcando a história.

Em pleno século XXI, vivendo o fervor da geração da comunicação, ainda existem classes que tentam dominar umas às outras. Em suma, infelizmente, enquanto a população for alfabetizada apenas por um diploma, seremos um país com quase um terço de sua população como analfabetos funcionais. Estima-se que em 2018 o número girava em torno de 29% do total da população, como aponta o site Época Negócios*.

Diante de tais informações é inevitável que nós, que em algum momento fomos resgatados dessa escuridão através da leitura, nos questionemos a respeito de como mudar tal situação. A resposta é simples: influência.

O fato de sermos leitores já nos coloca numa posição à frente. Contudo, vale ressaltar que estar acima não é um rótulo positivo de que estamos num nível maior do que os outros. Tampouco que isso seja motivo de congratulações. Estamos acima daqueles que insistem em manter uma parte
da população avessa à necessidade de enxergar o tamanho do poder que há dentro de cada um de nós. Podemos sim, olhar em seus olhos e sermos formadores de opiniões.

Você, leitor, que tirou cinco minutos do seu precioso e corrido tempo para ler essa coluna, seja influência na vida de alguém. Mostre que é possível mudar. Que mesmo que a escuridão sobre caía na sociedade, ainda podemos mudar. Não somos inanimados, alienados. Não estamos fadados ao fracasso de sermos guiados por quem maquina o mal com sede de poder inescrupuloso e ganancia desenfreada através da manipulação. É a partir de uma educação de qualidade e conhecimento básico que poderemos mudar a história. Não precisamos de guerras, precisamos de conhecimento. Não é a força que vem de fora que nos fará vencedores, é o poder de transformação que nasce em
cada um de nós.

                                                                                                                                                                                      WhatsApp Image 2019-02-03 at 22.49.56

Marlos Quintanilha é nascido em Itaboraí – RJ, formado em Administração e Pedagogia Cristã. Publicado nas editoras Andross, Rico, Porto da Lenha, Darda, Autores Independentes e Amazon. Idealizador do projeto Contos Coletivos, publicados semanalmente no blog Contos Coletivos e membro da ABERST.