20370955_1842954945721699_647528914_n

Para o que você é feito?

Desde o momento em que a pessoa que escreve se determina escritor, disposto a construir uma carreira, ele constrói uma série de expectativas, com muitos pontos em comuns, independente do gênero: publicar todos os seus livros, sair por uma editora bacana e ganhar o suficiente para que se dedique somente a escrita. Muitos começam de maneira independente, utilizando a internet e plataformas digitais como suporte, na esperança de que uma casa editorial olhe o seu trabalho, veja como falam de suas obras na internet e queiram lançá-lo o mais rápido possível.
Se você se identifica com alguma coisa, por menor que seja, senta aqui e vamos conversar. Porque a vida, infelizmente, não será como planejou.
É, serei aquele cara f#%¨* de uma p#%$ que vai te dar um banho de água fria.
Se você quer ganhar dinheiro, e tiver um bom ritmo de escrita – tipo, conseguir escrever no mínimo três livros ao ano – a Amazon é uma boa pedida. Mas que fique bem claro: nada será imediato, e você conseguirá ter uma situação boa, para trabalhar com tranquilidade, em dois, três anos. Isso se você publicar os gêneros mais vendidos – livros voltados para mulheres, romances e eróticos. Para o restante, os valores de faturamento mensal são bem menores. O bom de utilizar uma plataforma digital como o KDP é que pode liberar a imaginação – já vi livros com mais de 1.000 páginas por lá –, fazer uma capa atrativa e divulgar como se não houvesse amanhã pelo menos no primeiro mês, ou que tenha um número crescente de resenhas. Ter o livro entre os mais vendidos na primeira semana é essencial, pois consegue destaque para ele não só no site, mas também no aplicativo de leitura, além de aparecer entre os mais vendidos no site da revista Veja. Ou seja, vantagem de todos os lados. Mas para isso, meus caros escritores, vocês devem ralar, e ter dinheiro para investir. Pois, nesse caso, não basta escrever. O livro deve ter uma revisão legal, diagramação confortável, capa chamativa e sinopse instigante, que dê vontade do leitor escolher o seu título. Sites como a Amazon tem uma lista de pretendentes à crushes literários, de todos os gostos. E você tem de se destacar entre todos.

escritor

Com esse tipo de livros indies, na plataforma digital, já vi autores quitando seus carros em um mês, e outros levarem decepções homéricas. Portanto, além do esforço, aquele 1% de sinergia e sorte sempre deverão estar presentes.
Mas, Danilo, eu sou exigente com a minha escrita. Mexo, remexo, leio mais um pouco e vou lapidando aos poucos. Ou seja, consigo fazer no máximo dois livros por ano. Eu trabalho melhor sendo gerenciado, com prazos, limites. Além de que não tenho todo esse tempo para ficar nas redes. Como faço para seguir a carreira de autor?
Primeiro, antes de tudo, revise alguns posicionamentos. Você precisa estar presente nas redes com frequência para não ser esquecido. Se não der conta de fazer, pague alguém que faça. Existem entre os blogueiros e leitores muitos que cobram taxas módicas para compartilhar seus posts em grupos do Facebook e WhatsApp, por exemplo, até mesmo para gerenciar as suas redes sociais. Isso não significa que poderá esquecer simplesmente que elas existam. Sempre as vistorie, pois como dizia a minha avó: o gado não engorda sem o olho do dono. Segundo, tente escrever o mais rápido possível, de forma que tenha participação em algo pelo menos duas vezes por ano. Não dá conta de fazer dois livros em um ano sozinho? Faça um em parceria ou participe de uma antologia, mas mostre ao seu público que está ali para saciar a fome deles de seus textos! Se achar alguém que o trabalho para escrever junto que a coisa simplesmente flua, o trabalho será extremamente prazeroso.
O livro para enviar a uma editora já é algo mais elaborado. Deve-se revisar os erros e furos com cuidado. Afinal, não podemos corrigir e colocar uma nova versão no ar, como fazemos na plataforma. Uma vez impresso não há volta. Como mudar uma tiragem de mil exemplares? O número de páginas é pré-programado, até 300 páginas, e você deve estruturar o texto, nem se for na sua cabeça, de forma que caiba dentro do volume a ser vendido. Ao contrário dos 70% de uma plataforma digital, você ganha entre 8% a 12% do preço de capa, e recebe em, no mínimo, a cada seis meses. Só conheci até hoje uma editora que fazia diferente… Então, a não ser que você seja um fenômeno literário, o dinheiro demora um pouco mais a acontecer. Na editora, a literatura feminina ainda é um grande filão, mas o erotismo deixa de ser carro chefe. Junto ao romance, o suspense, a ação e o horror também tem o seu filão. Em alguns casos, podendo ser até mais promissor.
Se você é um autor iniciante, desfaça da sua mente a ilusão de que uma editora grande pegará o seu trabalho. Recomendamos que faça sua obra com uma editora que tenha o sistema de coparticipação, mas para isso tenha dinheiro para investir – todo projeto, para ser grande, precisa de esforços e sacrifícios. Aqueles que hoje são chamados de insensatos por se jogarem em um sonho e transformá-lo em ação, amanhã serão chamados de gênios. Basta terem coragem de seguir até o fim. Mas não façam em qualquer lugar. Tem editoras com preços bacanas, profissionais competentes e gente disposta a cuidar do seu livro. Outras que simplesmente te transformarão em número, um título esquecido no catálogo. Portanto, se informe, pesquise, fale com os autores e consulte se a editora tem títulos parecidos com os seus, um público para oferecê-lo. Não aja de impulso para não se arrepender.
Entenderam a diferença? Portanto, analise as suas alternativas e expectativas e veja em qual melhor se encaixa.
Mas se eu sou independente nunca vou poder ter um livro em uma editora bacana? Quem disse que não?! Basta ter a mão um inédito dentro dos padrões editoriais. Um livro enxuto, redondinho e que você ache que está do c#@%$*!!! Se você, como autor, tiver uma base de dados legais, leitores e um histórico como autor, uma editora aceitará ler o seu trabalho e, posteriormente, contratar. Alguns conseguirão sozinhos, outros através de um agente literário. Vai depender de sua paciência em lidar com isso.
E o autor de editora, pode fazer sucesso nas plataformas digitais? Claro. Não consegue fazer um livro para a Amazon? Faça contos, novelas, histórias curtas a preços módicos, para chamar a atenção do pessoal para os seus livros impressos. Use Wattpad e outras plataformas gratuitas para divulgar textos. Veja formas de ser lembrado de forma positiva, não por entrar em mi-mi-mis nas redes sociais ou algo do tipo.
Todos podem se moldar, nada é 8 ou 80. A única coisa que deve ter sempre em mente é oferecer um trabalho excelente para o seu leitor. Um trabalho que você aprovaria e gostaria se estivesse no lugar dele.

Espero que tenham gostado da coluna de hoje. Tem algo que queira saber sobre os bastidores do mercado editorial? Entrem em contato com a gente, mandem um e-mail no euleiobrasil@gmail.com com o assunto “Conversa nos Bastidores”. Adorarei falar com vocês.

Um abraço,

13336143_10207674012545820_5655672711467405919_n

Danilo Barbosa é autor, agente e editor na Rico Editora. Quer acompanhar seu trabalho? Siga-o nas redes: @danilo_livros https://www.linkedin.com/in/danilo-barbosa-36b32626/ https://www.facebook.com/autordanilobarbosa