Bya Campista Escritora2

 

Autora da duologia “Pele” e “Alma”, além dos romances “Uma noite apenas” e “Armadilhas do Amor”, Bya Campista é uma das principais musas da literatura hot nacional. Charmosa e carismática, a escritora listou dez fatos curiosos da sua vida aqui para o nosso portal, confira:

1) Quando eu era criança, escrevia peças teatrais e as encenava, geralmente no play do prédio em que eu morava. A que mais me marcou foi uma chamada “Labirinto”, cujo cenário era uma floresta. Eu e meus amiguinhos da época levamos semanas juntando dinheiro (que pedíamos para os adultos do prédio) para comprar o material para montarmos o cenário: cartolinas, colas, tesouras, canetas coloridas, etc. Levamos mais algumas semanas para conseguirmos montar todo o cenário. Pois bem, estava tudo pronto, e na véspera do espetáculo deixamos todo o cenário desmontado, guardadinho num canto do play.

Ocorre que o zelador, ao acordar de manhã para trabalhar, achou que era lixo. Adivinhem? Pois é, jogou TUDO fora! E era dia do lixeiro… Ficamos arrasados, e ele também, pois não fez de propósito, claro.

De qualquer forma, a peça foi encenada com um cenário “imaginário”. Para completar, eu estava gripada e fiquei com falta de ar no meio de uma das cenas em que eu corria de um lado para o outro, mas a plateia acreditou piamente que era encenação. Quase morri!

Resumindo: foi um sucesso! (kkkk)

2) Estudei em colégio de freira (!), mas eu era mesmo da “turma da bagunça”. Uma vez quebrei o banco da capela do colégio, mas eu juro que foi sem querer! Estávamos no exato momento da “contemplação”, que era quando ficávamos observando a igreja e pensando nos nossos pecados para serem confessados ao Padre posteriormente. Na verdade, acho que cochilei e o banco (que provavelmente já estava quebrado) caiu. Foi um verdadeiro estrondo dentro da capela. É claro que levei uma suspensão

3) Mais uma sobre minha infância: sempre fui arteira, bagunceira e desastrada, há muitas histórias da Bya fazendo arte por aí, mas vou contar uma delas: Quando eu tinha quatro anos, nasceram meus irmãos gêmeos, Rafael e Milena. Eu fiquei tão feliz, mas tão feliz, que toda hora queria vê-los e brincar com eles. Um dia eles estavam dormindo no carrinho e eu queria “ver os nenéns”, então me apoiei no carrinho para conseguir vê-los melhor. Ocorre que, devido ao meu peso, o carrinho virou e os nenéns foram derrubados no chão. Rafael ficou mudo e Milena fez um escândalo! Quanto a mim, me escondi atrás da cortina de crochê (!). Foi traumático, mas no final, todos ficaram bem. Graças a Deus!

Bya Campista

4) Uma palavra define bem meu período de adolescência: fã. Sim, eu era daquelas que corria atrás dos muitos grupos de música que existiam na época. O meu preferido era o Dominó e eu era simplesmente APAIXONADA pelo Afonso. Tanto fiz, que consegui o telefone e o endereço da casa dele. Fiz amizade com a mãe dele, dona Ivone (jamais me esqueço!), e todas as vezes que o grupo voava daqui do Rio de Janeiro de volta para São Paulo, eu ligava para ela avisando. Outro de quem eu era fã incondicionalmente era o Bruce Willis. Assisti a todos os filmes dele, inclusive aqueles considerados “de quinta categoria”. Via tantas vezes que sabia as falas de todos eles.

5) Minha carreira artística começou na adolescência. Eu era modelo e cheguei a fazer vários desfiles, trabalhos para algumas marcas de tinta, como a Wella, por exemplo; novelas da Globo (ponta e figuração, claro, kkkkkk) e fotos para lojas. Meu último trabalho como modelo foi para o salão de beleza Werner Coiffeur. Até hoje minha foto estampa o catálogo de produtos do salão, e quem quiser me ver é só dar uma olhadinha no W12.

6) Um dos momentos mais tristes da minha vida foi a perda da minha mãe para o câncer em 2012. Foi um ano inteiro de muita luta, e depois de passar todo esse tempo todo praticamente dentro de um hospital vendo todos os horrores que esta doença causa às pessoas de todas as idades, cor, raça, condição social, boas ou más, entrar num hospital, seja ele qual for, se tornou uma das coisas mais difíceis para mim. Hoje sei que Mamãe está melhor, mas, na boa? Nossos pais deveriam ser eternos.

Bya Campista2

7) Depois de perder mamãe e ter de tomar uma das decisões mais difíceis da minha vida, comecei a escrever, daí nasceu Pele. Estar com Dimitri Logan e Linda Parlson foi libertador e maravilhoso. Depois vieram outros trabalhos e descobri de que escrever é muito mais do que uma paixão, é minha missão.

8) Outra coisa por qual sou completamente apaixonada é música. Durmo e acordo com ela, e quando trabalho ela sempre está presente, ou seja, ouço música praticamente o dia inteiro! (kkkk). Meus gêneros preferidos são Rock’Roll, Música Clássica e Instrumentais relaxantes.

9) Preciso confessar que tenho um vício: café. Se eu pudesse, passaria o dia inteiro bebendo café, mas devido ao meu problema gástrico, minhas doses diárias de café foram drasticamente reduzidas. Entretanto preciso tomar, pelo menos, duas xícaras ou então morrerei de enxaqueca! Como sempre digo: “café é vida!”.

10) Uma das coisas que mais me dá prazer na vida: ler, escrever, tomar café (vinho e champanhe também!), comer chocolate, viajar e, é claro, estar com meus leitores. Não é papo, é a mais pura verdade! Nada mais gostoso do que estar rodeada de gente querida, recebendo todo o carinho do mundo. Renova as energias!