Por Roberta Costa

“Daqui a alguns anos, você estará mais arrependido pelas coisas que não fez do que pelas que fez. Então solte as amarras. Afaste-se do porto seguro. Agarre o vento em suas velas. Explore. Sonhe. Descubra.” — Mark Twain

Sabe aquelas atitudes negativas que às vezes temos no dia a dia ao nos depararmos com algo novo que nos tire de nossa zona de conforto? Burlar uma dieta e recusar uma promoção na carreira por não se achar totalmente capaz são exemplos de autossabotagem, atitudes que, inconscientemente, nos afastam de nossas realizações. É comum em pessoas que têm medo de assumir novas responsabilidades e de correr riscos. Baixa autoestima e medo do fracasso acabam desenvolvendo nas pessoas crenças limitantes que dificultam o caminho para atingir suas metas e seus objetivos.

Existem vários tipos de autossabotagem:

 Negação de suas próprias necessidades (“não preciso”, “não quero”, “não dá certo comigo”);
 Procrastinação (deixar para amanhã o que pode fazer hoje);
 Inconstância (começar algo e abandonar sem terminar);
 Criar desculpas nos momentos de tomar decisões (padrão de personalidade evasiva);

Identificou-se com um ou mais desses pontos? Calma, há várias formas de vencer o monstrinho sabotador que existe em nosso íntimo, vamos a algumas delas.

Você já pensou o que significa sucesso e felicidade para você? Busque se conhecer mais: a maneira como pensa a respeito de suas características individuais, de suas capacidades e de seu potencial podem elucidar muitas
questões de “Não entendo o que deu errado.”. O autoconhecimento nos ajuda a reconhecer gatilhos para a autopunição.

Defina seus objetivos, trace metas, reflitas sobre obstáculos que possam surgir pelo caminho. Às vezes, colocar tudo em papel — É da era digital? Não se preocupe, o bloco de notas do seu celular também serve. — ajuda a ter uma visão mais abrangente da situação. Leve todas as suas decisões a sério, leve em consideração que o que vive hoje é resultado de decisões tomadas no decorrer de sua vida.

Não se cobre tanto, afinal, PERFEIÇÃO NÃO EXISTE! Busque dar o seu melhor em todas as situações, se o resultado não for exatamente o esperado, é uma boa hora para analisar sua conduta e decidir se há algum aspecto que possa melhorar. Caso não haja, tudo bem, você deu o seu melhor.

Reflita um pouquinho: “Você está tentando se agradar ou agradar os outros?”. Buscar alcançar as expectativas dos outros ao invés das suas é uma ótima forma de se autossabotar, já que tira o foco de seus próprios sonhos e prioridades. Tente isso: Coloque-se em primeiro lugar. Não, você não estará sendo egoísta, apenas estará praticando o amor próprio, acredite! Anteriormente, sugeri que pensasse sobre possíveis obstáculos. Nãos os veja como “avisos” para desistir, enxergue-os como possibilidades de crescimento e enfrente-os.

Espero que essas dicas contribuam para o seu desenvolvimento, pois
você merece! Comece aos poucos, um dia de cada vez, e perceberá o quanto
pode se surpreender ao sair de sua zona de conforto.

Até mais!

Roberta Costa é psicóloga e cursa Letras. Nas horas vagas atua também como revisora. Manauara, mora na capital do Amazonas com sua filha. Viu na Literatura uma porta de entrada para novos mundos, novas vivências e, principalmente, novas amizades.

Administra o Ig @livros.da.beta, voltado para
a Literatura Nacional.

Instagram: @betabcosta /
Facebook: blg.livrosdabeta