por Clara Magalhães

Hoje em dia, tudo se tornou mais prático, através de um toque, e já estamos conectados com o mundo.

Isso ocorre em várias esferas, que vão desde os jornais, que podem dar notícias em tempo real. Diferente de um tempo atrás, que tínhamos que esperar o dia seguinte, pelo jornal impresso.

Hoje, existem jornais e revistas online, sites, blogs, grupos de whatsApp, e outras ferramentas de comunicação online.

Acredita- se que a web também facilitou a vida dos escritores em geral, nunca foi tão fácil publicar textos, criar uma rede de contatos, através de aplicativos, como o Facebook, instagran e outros.

Tudo isso ajuda aos escritores, que podem divulgar seus textos, até mesmo publicá los em aplicativos específicos como whattpad e com isso formar um público inicial, muitos já conseguiram transformar seus textos virtuais em livros físicos.

Sem falar na Amazon, que os escritores podem publicar os seus textos em formato de ebooks, de forma independente, pagando apenas uma pequena taxa.

O Kindle da Amazon, também disponibiliza livros, que vão desde os clássicos até os lançamentos, por um preço bem mais acessível a todos.

Alguns ainda preferem os livros físicos, alegando que tais, são insubstituíveis, nada como aquele cheirinho de livro novo. Adquirindo assim, mais um livro para coleção.

Um exemplo bobo, são os famosos HQs, que estão disponíveis online para quem quer baixar, mas, esse fato só aumentou o número de leitores de exemplares impressos.

Acredito que  Ebooks e livros físicos irão conviver bem, cada um com a sua importância.

Aos poucos, esse novo formato de leitura virtual, vai formando seu público, pela praticidade de ler, pelo celular, tablet, e outras ferramentas.

Mas existem os contras, que é a facilidade do download, legal ou pirata, que estaria prejudicando a forma tradicional, da edição, e a distribuição dos livros.

A internet por outro lado, tem a facilidade de aproximar, os autores, publicadores e editores.

O que tende a diminuir a importância das livrarias físicas, tendo em vista  a crise no mundo literário e o fechamento de muitas, tornando- as virtuais.

Por fim vale ressaltar que caminhamos para a era virtual, pois até as instituições acadêmicas renderam-se ao novo método, tendo em vista o ensino a distância, EAD, na qual tudo é feito de forma virtual, até a biblioteca. Facilitando a vida de alunos que não tinham acesso a universidade, por algum fator, como distância ou tempo. Passam a cursar, aumentando assim o número de universitários no país.

Enfim, o virtual é o futuro.

Clara Magalhães é pedagoga, professora, autora e adora ler e escrever. Participante de 7 antologias, está em constante crescimento. A inquieta carioca adora viajar, conhecer coisas novas e é uma amante da gastronomia.