011

Indiscrições Cotidianas,

por Meredith Baker

Hoje encontro-me verdadeiramente encantada em conhecer uma excelente musicista, que certamente encantará muito nossa sociedade, ainda que esta lhe seja muito intransigente. Dona de dotes natos, e peculiares, a Sra. Francisca Edwiges Neves Gonzaga é possuidora de um talento excepcional e admirável. Brindou-nos com ritmos adoráveis, como polca, cançonetas, valsas e fez da breve reunião na casa da Sra. Marcélia Dias, de quem é professora de piano do filho, uma noite repleta de alegria. Apesar do calor que faz na Corte, as doces e empolgantes notas de Gonzaga nos deixou
a todos extasiados. Não me admira, em nada, que muito de suas incursões amorosas não tenham resultado em matrimônios duradouros, como soube de fonte segura. Uma mulher notável, com tanta determinação a impor em bemóis, não pode ser trancada em uma redoma, ou corrompida pela vida confortável de um lar, submissa. Penso que o mundo seria mais leve e criativo com mais “Chiquinhas Gonzagas”.

Por outro lado, não quero chocar minhas leitoras ou simplesmente colocá-las para pensar por si mesmas… Penso que aliciá-las com as doçuras da vida e a traquinagem do cotidiano seja uma combinação deveras divertida. Assim passo a relatar o que vi, outra noite, no baile dado pelos Brás. Como era de se esperar, a mais pura essência social da côrte se encontrava no amplo solar, no Botafogo, que a mui nobre família ocupa quando nos visita. Os salões são adoráveis, os perfumes franceses, as sedas, os brocados…

Mas isso tudo se torna efêmero quando não há virtude ou requinte na arte de flertar. É sabido por quase toda sociedade que Fernando Brás é o solteiro mais desejado do momento, e essa colunista certamente não entende o que pode causar tanto alvoroço entre as jovens que o brindam com sorrisos e conversas evasivas, a não ser, obviamente, sua herança de
dezenas e dezenas de cafezais. Gosto de pensar, no entanto, que alguma possa, como eu, desistir de tal empreitada cansativa. O jovem não parece inclinado ao casamento, e visivelmente acha cada investida, cacete. Não me surpreenderia que esses pés de café ficassem sem herdeiro. Todavia, devo observar que a mãe, uma mulher extremamente perspicaz não mede esforços em mantê-lo entretido com alguma pretendente.

Desta forma, minhas caras e queridas donzelas, joguem suas fichas sobre o feltro verde, debrucem seus colos macios, suas vozes sedosas e imprimam seus esforços para um enlace antes do próximo maio… A temporada de caça ao Brás está abertíssima, e será uma bela disputa de se apreciar. Infelizmente meus recursos são parcos, e a modéstia é minha companheira, ficarei apreciando das sombras, como sempre…

Eu vos desejo uma boa semana.
Meredith Baker

 

*Um texto de Roxane Norris

**Essa coluna é atualizada toda segunda feira